Sobre Nós

Somos uma equipa que se juntou com o propósito de contribuir para a valorização e preservação da autenticidade dos lugares de Portugal. Para tal, envolvemos a comunidade local, através de um trabalho em rede, com o intuito de tornar Portugal num destino de Imersão Cultural.

A nossa visão

Queremos satisfazer as necessidades dos nossos visitantes sem esquecer ou obstruir os das regiões preceptoras, protegendo-as e ampliando as suas oportunidades futuras. Fazemo-lo através de um conjunto de experiências de imersão e de turismo sustentável (idiomático e literário) no sentido de tornar as pessoas mais conscientes, autónomas, solidárias e que, de forma responsável, assumam a pluralidade de línguas e culturas.

Queremos promover sociedades pacíficas e inclusivas para um desenvolvimento sustentável. Um mundo consciente dos seus problemas sociais e cujas soluções assentam no reconhecimento da sua diversidade e identidade, de uma ação pela inclusão e de um pensamento glocal.

Quem Somos

O que fazemos

O Stay to Talk – Instituto de Imersão Cultural é uma instituição de impacto social, assente na Agenda 2030, constituída com um propósito de dinamizar e de relacionar áreas como:  

O nosso percurso

Julho 2017
Setembro 2017
Janeiro 2018
Fevereiro 2018
Julho 2018
Outubro 2018
Dezembro 2018
Abril 2019
Abril 2019
Julho 2019
Janeiro 2020
Fevereiro 2020
Maio 2020
Junho 2020
Agosto 2020
Novembro 2020
Novembro 2020
Untitled design
Reproduzir vídeo
Reproduzir vídeo
Reproduzir vídeo

Os nossos parceiros

quote

Tudo parece impossível até que um dia seja feito. (Nelson Mandela)

E nós acreditamos que fazemos melhor em parceria.

CAROLINA MENDES

CEO e Fundadora

Doutora em Ciências de Educação na especialidade de Gestão e Administração Educacional pela Universidade Católica Portuguesa do Porto (2017), mestre em Ciências da Educação pela Universidade de Lisboa e licenciada em Ensino Básico Primeiro Ciclo pelo Instituto Politécnico de Portalegre.

Tem exercido a sua atividade académica e profissional em Portugal, Angola e Guiné-Bissau destacando-se: (1) as funções de professora, coordenadora e formadora de professores e formação de adultos em Angola e Guiné; (2) experiência no ensino superior a lecionar e supervisionar estágios pedagógicos de formação inicial de professores; (3) experiência de cocoordenação de projetos da Cooperação Portuguesa com os PALOP e consultoria e avaliação de projetos de educação de adultos e de cooperação internacional; (4) experiência empresarial em Angola e Portugal em áreas de Educação e Turismo.

É diretora-geral e fundadora do Stay to Talk – Instituto de Imersão Cultural (2017), uma empresa de animação turística e programação cultural que, pela sua definição e respetiva atuação, tem sido considerado um Projeto Sustentável e de Inovação Social que está a trazer para Portugal um novo conceito de turismo – turismo idiomático implementado de base comunitária. Gosta de ler e a sua paixão são as pessoas e a investigação.

RAQUEL MEIRINHOS

Facilitadora Linguística

Licenciada em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, com especialização em Estudos Europeus (2007). Aprofundou o seu contacto com as línguas desenvolvendo uma aprendizagem de imersão nos respetivos contextos e contacto diretos com os habitantes locais, através colaboração com a Amnistia Internacional, primeiro no Porto e depois na sede, em Londres (2008). Estagiou no Tribunal Judicial de Amarante e fez Serviço Voluntariado Europeu em França (2011). É formadora de inglês na Universidade Sénior de Amarante desde 2014. Pela sua experiência com outros povos, pelo gosto de viajar e pelo seu alargado conhecimento de línguas, integra a equipa do Stay to Talk em 2018, assumindo o serviço de traduções no Departamento Linguístico. Adora viajar e o voluntariado é uma paixão.

MARTA SOUSA

Mediadora Cultural

Mestre em Património, Artes e Turismo Cultural (2019) e Licenciada em Gestão do Património (2017) pela Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto. Iniciou a sua experiência com o mundo do trabalho nesta área do turismo e património através de um estágio curricular como guia turístico no World of Discoveries (2016) e, as suas opções de voluntariado e formação certificada têm sido ligadas à área do Património e Turismo Cultural. Por entender o Património Cultural como uma herança que se deve continuar a preservar para que continue rico e autêntico integra, em 2020, a equipa do Stay to Talk como estagiária profissional assumindo o cargo de Guia Interprete do Património Cultural através de uma perspetiva mais comunitária. Gosta de fotografar lugares e ler sobre os mesmos e é apaixonada por castelos, desde sempre.

Educação

1 – Promovemos serviços de tradução e o ensino de línguas, (sessões presenciais, online e/ou por experiências de aprendizagem práticas).

2 – Desenvolvemos programas de formação por medida e de acordo com as necessidades apresentadas, sempre com um complemento prático diferenciador que é o de viver Experiências de Imersão Cultural Local.

3 – Realizamos atividades de educação para o património para diferentes grupos alvo, entre outros, famílias, escolas e outras instituições de cariz educativo, como estratégia de desenvolvimento local.

Propomo-nos assim consciencializar não só os visitantes, mas também a comunidade local para o valor da identidade local, aproximar culturas distintas, promovendo uma melhor compreensão entre os povos e fortalecendo a paz no mundo.

Turismo

1 – O Stay to Talk é uma instituição de impacto social com o objetivo principal de contribuir para que Portugal se torne num destino de turismo sustentável.

Acreditamos que a nossa ação contribuirá para a criação de emprego e oportunidades justas na população local, para a valorização dos costumes, da cultura e da conservação da natureza.

Somos a prova de que o turismo pode ser uma boa experiência tanto para o turista como para o habitante local.

2 – Estamos a implementar, de forma pioneira, em Portugal o Turismo Idiomático de Base Comunitária assente em valores e práticas do turismo sustentável, cultural e criativo.

3 – Trabalhamos a cultura e a língua portuguesa através do Turismo Literário e Artístico, realizado sempre em proximidade com a comunidade local implementado sobre uma rede de agentes culturais comunitários.

Propomo-nos assim a promover um trabalho em rede na área do Turismo e da Cultura, adotando uma postura de cooperação com o intuito de promover uma governança que incentive o desenvolvimento económico – social dos contextos onde a intervenção do Stay to Talk se faça sentir.

Investigação

1 – Recolhemos e tratamos evidências da cultura local com o intuito de dar corpo a produtos culturais originais e passiveis de serem vivenciados por quem os procura, nomeadamente, narrativas de casa com história, estruturação de produtos turísticos, entre outras, consultoria.

Propomo-nos assim conhecer o contexto de forma científica, estudando e recolhendo evidências culturais no sentido de se trabalhar com um propósito social, nomeadamente, o de envolver as comunidades e de contribuir para o desenvolvimento local, a inclusão e a coesão social.